Central de marcação de consultas

(31) 3248-3000   


5 passos para agilizar sua consulta no pronto atendimento

Compartilhe:

O pronto atendimento hospitalar atende muitos casos que precisam de cuidados imediatos todos os dias. Existe um sistema de triagem para organizar os pacientes de acordo com a gravidade dos sintomas. Isso significa que pacientes com quadros menos graves podem ter que esperar os casos mais urgentes serem atendidos primeiro. Entenda como funciona a triagem e a espera no pronto atendimento do Semper.

Descubra como se organizar para agilizar sua triagem e consulta no pronto atendimento. Algumas atitudes simples que o paciente podem tomar ao buscar ajuda médica facilitam o processo. Veja 5 passos que podem te ajudar a ser atendido com maior agilidade

1- Pense sobre quais são as suas doenças crônicas e em que estágio elas estão.

No pronto atendimento, o médico fará uma entrevista com o paciente e o seu acompanhante, chamada de anamnese. Essa conversa é o primeiro passo para fazer um diagnóstico e indicar um tratamento. 

Durante a anamnese, o médico vai perguntar se o paciente tem alguma doença de base ou crônica, se faz algum tratamento e em qual estágio ela se encontra.

Por isso, é importante que o paciente ou o acompanhante saibam exatamente qual o nome e a situação da doença, mesmo que o problema que o levou ao pronto atendimento não pareça estar relacionado a ela. Isso porque pode ser que a condição atual tenha um tratamento diferente para portadores de doenças crônicas. 

2- Liste todas as medicações que você usa habitualmente ou fez uso nos últimos dias. Se possível, leve as receitas dos medicamentos. 

O médico também vai precisar saber quais substâncias estão agindo no corpo do paciente para fazer um diagnóstico acertado e prescrever um tratamento que interaja bem com os medicamentos que a pessoa já usa. Também pode ser que um medicamento ingerido seja a causa da queixa que levou a pessoa a procurar o pronto atendimento. 

Assim, é importante saber os nomes dos medicamentos usados e, se possível, levar as receitas. O doutor Tiago Duarte, coordenador do pronto atendimento do Semper, dá uma dica importante, principalmente para pacientes idosos, para esses casos: 

“Sempre oriento o paciente ou um familiar a montar uma pasta, com todos os resultados de exames, as receitas e o que mais a família tiver de histórico médico. Assim, fica mais fácil estar preparado para levar tudo para o pronto atendimento em um momento de emergência. Às vezes, a família não consegue interpretar esses documentos, mas, para o médico, ter em mãos esse histórico ajuda a compreender o quadro clínico do paciente.”

 3- Indique quais tratamentos e medicamentos você tentou usar para combater o problema que te levou ao pronto atendimento. 

É bastante importante que o paciente informe ao médico o que ele já tentou fazer para se sentir melhor antes de ir ao hospital, mas não obteve sucesso. Assim, é possível passar para um tratamento diferente, mais avançado ou mais forte. Isso também elimina o risco do médico receitar um medicamento que o paciente não soube informar que já tentou usar. 

4- Pense e repasse mentalmente todas as informações que você acredita que são importantes para o médico antes do atendimento.

Uma boa dica é aproveitar o tempo de espera para lembrar e organizar mentalmente todas as suas queixas e os sintomas que te motivaram a ir ao hospital. Pode fazer toda a diferença repassar as informações que você quer deixar bem claras para o médico. 

Mas, não se preocupe. Se não houver tempo ou condições de seguir essa dica, isso não vai atrapalhar a consulta. Cabe ao médico conduzir o atendimento e pedir todas as informações necessárias para resolver o caso. 

5- Seja sincero sobre a sua saúde e os seus sintomas

O melhor que um paciente pode fazer para colaborar com a melhora da sua saúde é ser o mais verdadeiro possível na hora de relatar suas queixas e sintomas, descrevendo sintomas, duração e intensidade. 

Você não precisa ter vergonha de mencionar que tem alguma doença para o médico. Também não deixe que o medo de ser desacreditado te atrapalhe na hora de relatar suas dores. 

Depois do atendimento, o paciente deve seguir as orientações de tratamento em casa. Por isso, também é fundamental falar com o médico se você tiver alguma limitação financeira ou social. Não há problema em não ter dinheiro para comprar um medicamento, por exemplo. É dever do médico entender o contexto do paciente e indicar um tratamento que seja adequado a cada realidade. Tire todas as suas dúvidas quanto a receitas, prescrições, horários e remédios com o médico para seguir o tratamento corretamente. 

Caso os sintomas continuem e se não houver melhora em 48 horas, é recomendado retornar ao pronto atendimento. 

O pronto atendimento do Semper está preparado para te ajudar quando você precisar. Temos uma equipe multiprofissional que permite o atendimento ágil e com fácil acesso a sala de urgência, oferecendo ainda suporte para realização de exames e sala de medicações.